Loading...

domingo, setembro 26, 2010

Relatos de 19.09



Ontem eu não tive forças para escrever, mas quero transcrever as poucas palavras que pude juntar no dia que me ocorreu:

"Hoje eu enterrei um mestre. O mestre que me ensinou a pôr no papel tudo o que penso, sinto, acredito...
O homem que sempre foi um enigma pra mim e que ao mesmo tempo me fazia enxergar coisas tão claras.
Diante de seu túmulo, só consegui pedir que Ísis o leve à luz, que ele encontre um lindo caminho de luz. E que, em outra vida, ele torne a passar por mim."


Não queria acreditar, mas foi foi real.


Preferia que não fosse.


Por mais distante que se esteja, as notícias parecem que aproximam.Não só os corpos, mas as almas.

Durante o velório, quando minhas pernas iam por si só atrás daquele corpo inanimado, passei a sentir a calma que acredito ser encontrada só em mim. Em um trecho do caminho, já me percebia dando 'oi, Dona Maria', 'oi Seu Joaquim',...

...pessoas moradoras dali a tempos.


Refletindo em cima disso, percebi que cada lápide conta o sentimento conquistado por aquelas pessoas e a de Jorge mostrava: "JORGE, gênio, amigo...e principalmente um filho amado!".


Pode ser meio funesto, mas depois de entrar em contato com esse 'mundo corpóreo morto', estive com pessoas que amo e me correspondem ao sentimento.

Fiz um programa meio fora da realidade e me conformei com a vasta possibilidade de que minhas lágrimas, preces e palavras escritas o ajudem a chegar em NOSSO LAR. Mas a ficha ainda não caiu.


SALVE JORGE!!


SÃO JORGE!!!!

Só faltava um detalhe...



"Dia 25/09, 23:30
Indo para a confraria du balanço com Camila e Luiz Claudio. Realmente se trata de um ambiente totalmente alternativo, onde todas as tribos se encontram no verdadeiro sentido da coisa. Homens, mulheres, homo, hetero, sei lá, com o único intuito de se divertir, ao som de músicas de vários estilos.
O que noto é que aqui prevalece a total e irrestrita liberdade, seja de expressão, ou não parafraseando Caetano. Mas o ambiente é descontraído e, como Camilinha me desvreveu, 'alternativo'.
O que mais me chamou atenção foi a maneira livre de expressão de todos que ali estavam.
Gostei, ambiente acolhedor, onde você não precisa mostrar nada pra ninguém, não precisa estar acompanhado...a diversão se resume num bate-papo despretencioso, música diversificada, uma cerveja cara, mas gelada.
'Solte a franga', esse deve ser o lema daqui.
Estou aqui, mas como acompanhante de Cami, mas confesso que preciso aproveitar estas oportunidades de conhecer outras opções de diversão e a felicidade, alegria de repartir desse momento com quem se ama é enriquecedor.
Mesmo que esses momentos sejam totalmente 'diferentes' de tudo o que você já viveu.
Estou eu aqui, quase 3 horas da manhã, escrevendo esse monte de bobagem ou não, ouvindo uma música tecno só para passar o tempo, mas enfim se minha filha está feliz o resto não importa. Vale a pena registrar o ponto alto da festa: 'HB' que menino de ouro, antencioso, alegre, uma pessoa nota dez, não nota mil, é o filho que toda mãe pediu a Deus e o genro também.
Pelo menos saio daqui com um saldo positivo e uns reais a menos, o bom é que pude sair da rotina, ouvir uma música diferente, rever HB e sua simpatia, e descobri também que todas essas considerações são totalmente inúteis para complicar o que não precisa ser complicado.
As pessoas aqui vem buscar diversão, encontros e nada mais." by Márcia Cardoso, vulga minha mãe.



Duas décadas...

não são meros 20 anos, mas os lindos vinte anos de minha vida.

Já amei horrores, já sofri mais ainda...já perdi, já ganhei...

mas nesse momento acho que me encontrei.


Não passei o dia inteiro a comemorar de forma agitada, mas o pouco de agitação que tive me bastou...só faltou um detalhe...

VOCÊ!


Fui pra 'confraria du balanço' e senti muito a falta de ti...

as considerações acima foram escritas por minha mãe, de quem puxei o dom de escrever, de conseguir pôr no papel coisinhas bobas como isso que estou a escrever agora.

Foi uma lindo noite...com um pouco de chuva e com uma linda lua cheia que iluminou meu caminho quando cheguei em casa.

Acho que finalmente eu percebi que meus vinte anos não são meras décadas...

são as MINHAS décadas.


Mas diante do tamanho do significado desses anos pra mim...só me faltava estar com você.


domingo, setembro 19, 2010

Auto-conhecimento: Saindo da TPA



Ahhhh...

Mais tranquila, mais serena, mais normal, eu diria ^^


Acabou toda a tensão de uma TPA sem sentido...

GOSTO...GOSTO SIM ^^ E GOSTO MUITOOO

sábado, setembro 18, 2010

Auto-conhecimento: TPA [parte 2]



Porque sempre que mergulho em minhas intensidades eu me sinto apunhalada pelas costas? Me sinto tão trouxa e tão enganada? Porque me sinto tão abandonada?



Não quero mais me enganar, não quero mais ser trouxa.


Posso não estar amando, propriamente dizendo, mas sinto uma perda como se estivesse.


Porque a dor da perda é três vezes mais intensa que a felicidade um gostar?




NÃO QUERO MAIS GOSTAR DE NINGUÉM.


Não quero mais mistérios de nada...não tô preparada mais pra sofrer.

Auto-conhecimento: TPA



Sou muito intensa...

intensa até demais, às vezes...

e acredito que não é todo mundo que suporta tamanha intensidade.

Amo intensamente, me felicito intensamente, me entristeço intensamente...

Será que tanta intensidade me deixa insuportável?

Acredito que não, mas...

sinto que ser muito intensa afasta algumas pessoas de mim.

Talvez tamanha intensidade possa me fazer 'perder' ou 'não encontrar' um alguém que seja realmente pra mim.

Eu...

mas do que ninguém me degradado quanto a isso...

sempre fui byroniana e, particularmente, não acho que isso seja 100% ruim.

Mas me torno desagradável até pra mim mesma...






*TPA = Tensão Pré-Aniversário


Reflexões



Sempre estou pensando e refletindo sobre tudo o que me ocorre...

e me ocorrem muitas situações e questionamentos...e críticas...e coisas.



Ultimamente várias pessoas por perto de mim estão morrendo...e várias outras estão procriando.
Jorge Dias, o pai de Rafa...Gaby, minha tia Rosana, Renato, Toni....pessoas que fazem parte de mim, querendo ou não, e que por isso transformam a minha vida através das naturais transformações ocorridas nas suas.

O interessante é que não consigo mais me sentir tão amplamente tocada como me sentira antes com outras mortes e/ou nascimentos. Não que estes sejam menos importantes, mas acho que minha compreensão destes fatos passam a refletir em mim de maneira diferenciada e talvez até mais madura. Não que eu esteja menos sensível a estes fatos, mas começo a pensar a partir deles:

- Será que estou pronta para ter meus próprios filhos?

- O que será de mim sem minha mãe ao meu lado? Sem meu pai...

Enfim, começo a buscar respostas para esses questinamentos, e concluo [temporariamente] que estou pronta para ter os meus, mas isso com os meus ao meu lado. Com minha mãe me acompanhando nos exames de rotina, com meu pai...


Em paralelo a isso, percebo o quão sem modos estão as crianças de hoje. Talvez isso seja um reflexo do mundo sem modos em que se vive hoje, mas não quero que os meus sejam assim. Meus pais me deram modos e pretendo perpetuar isso entre os meus...será que é difícil?

quinta-feira, setembro 16, 2010

TER...



Ás vezes...

digo...MUITAS vezes...me pego empregando pronomes possessivos e até dizendo que tenho alguém...

é estranho isso...

mas sei que não tenho a intenção nenhuma de transformar/ tratar alguém como objeto...

e/ou com isso tomar posse de sentimentos ou coisa do gênero.



Quero apenas me sentir como estou agora.



É legal que o fato de ter...pode estar aliado com a presença, com um carinho que se sente...e que se acaba por TER.


Penso no possuir, como TER alguém ao lado...

TER um carinho bem dado...assim como DAR um amor bem tratado...

mas sempre TENDO alguém ao lado.


Hoje, posso dizer que meu horóscopo acertou em cheio quando me disse que sentirei um alguém mais aquém a mim. Sinto-me tão bem acompanhada...que mesmo não estando grudada, penso que não estou sozinha.

Aí sim posso dizer que TENHO alguém comigo...alguém ao meu lado.

sexta-feira, setembro 10, 2010




Lembranças recentes... ^^
e lindas...
lindas lembranças...

Gostar de mim...



Eu gosto de mim...e você?

Você gosta de si?

Gosta de tudo o que faz? [incondicionalmente?]

Como será gostar de verdade de si?


É engraçado isso, né? Gostar, gostar...gosto de mim. Quero que outros também gostem, e sei que alguns gostam. Alguns que podem ser muitos, poucos...ou simplesmente alguns.

O que me importa mesmo, é que muitos desses alguns são importantes suficientes para eu me importar...são importantes o suficiente pra mim. E estes...gostam de mim.

Meu grande medo de ficar sozinha, hoje se satura...



MEDO...



EU...mais uma vez...estou sobressaltada de tanto medo!!

Meus medos sempre me frearam...e sempre me levaram à infelicidade.

Por medo de ter um filho...deixei que ele fosse pelo ralo. Por medo de estar ao lado de alguém por mais de dois anos...terminei um relacionamento. Por medo de estragar algo construído por outros...abdiquei de um sentimento gostoso e pus outro por cima. Por medo de estar com alguém muito diferente e 'viajado'...me afastei e fui atrás de outras experiências...


e agora...por medo de arriscar, acabo por não mergulhar de cabeça naquilo que pode vir a me trazer bons conhecimentos...

por medo de ficar sozinha...não me imponho como mulher e fico submetida a alguém mais 'experiente'...mais vivido....

quarta-feira, setembro 08, 2010

Insegurança...




Talvez esse seja um novo momento, e essa uma nova experiência em minha vida, mas me sinto ainda mais insegura.


Sei que não tenho muitos motivos para isso e acho até que pode/ deve ser paranóia minha, mas tenho feridas passadas ainda abertas e tenho medo de 'jogar sal' nessas feridas. Tenho medo de me jogar demais e me sair ferida da história.


Gosto dele, quero que ele goste de mim também. Não apenas por minhas performances [...], mas pelas minhas atitudes...e idéias....e jeitos...e trejeitos...por 'performances mulherísticas' que venha eu a ter.


Queria ter certezas imediatas demais, talvez.


Isso me causa ansiedades demasiadas também...


não é bom.



Adoro perceber que Ísis está me ajudando com esse caso e, de certa forma, ela me dá determinadas certezas de como posso agir...


Me sinto tão pequena em jogar minha felicidade nas mãos de outra pessoa...mas me cobro tanto em relação a ser agradável, adorável em relação a esse alguém, que acabo por recolocar esse encargo sobre meus ombros.


Tenho tanto medo...


tanto...

domingo, setembro 05, 2010

Semana...

Essa semana me ocorreram diversas coisas legais...
Passei a encontrar uma forma de unir minhas profissões [uma forma bem bacana, por sinal], comecei a testar minhas percepções visuais em meu corpo e encontrei um 'schifoso' disposto a mim.
Relatando um pouco do que sinto e/ou senti em relação aos itens acima, descrevo primeiro um pouco do último.
Não quero pôr o carro na frente dos bois e nem quero esperar que as coisas aconteçam. Acho que em relação a ele quero fazer as coisas acontecerem moderadamente...
gosto de estar com ele e gosto de me sentir da forma que estou me sentindo...
'em órbita'....!!
Na quarta, passei a testar minhas percepções...
senti-me como 'Isaac Mendez', de Heroes. Em transe quando desenha quadros...quadros essse que previam o futuro.
Tudo bem que foi uma percepção falha, já que a intenção é não 'prever o futuro' e construir quadros a partir do presente que se forma, já que o presente é quem faz o futuro, né?!
Não pensei em programar, ao certo, o caminho que trilhei...tentei ao máximo perceber aonde que aquilo estava me levando, mas no fim percebi que poderia ir mais além...
Fazendo uma análise em relação a esses dois fatos...percebo que comecei a entender o quanto posso ir além...não apenas em movimentos do corpo...mas em minha vida...posso ir além de ser uma mera mocinha objetivada a construir um trajeto pro meu futuro...
..na realidade penso que posso construir as bases de meu caminho, andando nele, ao mesmo tempo.
Sair de casa, ter um namorado, ter um bom emprego...ter o meu negócio...
entendi que são meros desejos que me levam ao lugar que desejo.
Agora sei que posso abrir-me para tê-los...

quinta-feira, setembro 02, 2010

Sensações...



Eu queria poder descrever algumas das várias sensações que tenho...tive...sensações puramente minhas...

...mas difíceis de serem descritas.


No fundo, no fundo...gostaria de ter certeza de coisas nada certas ou até incertas...e isso complica meu entendimento sensorial.

Sentir...

sinto muita coisa...mas não sei se sei explicitá-las no momento certo...

poucas pessoas conseguem captar esses sentimentos...e todas as sensações que acabo por ter de acordo com eles.

Será que você sente?

Como sente?

Sente bem? Sente mal?

Te deixo sentir oq?