Loading...

domingo, fevereiro 27, 2011

Lágrima

Ontem eu vi uma lágrima...

uma lágrima que parecia fútil, embalada por uma atmosfera infantil de lembranças...
e que deixou sem graça um rosto másculo de menino.

Ontem eu vi duas lágrimas...

as enxuguei de teu rosto e percebi a boniteza daquela reação...
o retrato mais belo de um sentimento, de uma amargura, de uma sensibilidade.

Ontem eu vi três lágrimas...

lágrimas foragidas, fingidas, talvez...
lágrimas que fingiam ser algo que não eram, ou até mostravam uma falsa causa de seu surgimento...
mas lindas lágrimas.

Ontem eu vi algumas lágrimas...

te peguei sem jeito, sem fala, sem controle do que estava acontecendo contigo...
sem saber o que pensar daquele momento e tentando se esquivar de explicações impossíveis de serem dadas.

Mas eu vi lágrimas...

lágrimas que não saem de minha cabeça e que penso constantemente...
a quem diga que lágrimas são tristes, são feias, são frágeis...
mas o revelar de um sentimento involuntário não consegue ser frágil, nem feio...
sentir não consegue ser triste...

Ontem eu vi lágrimas...

as mais lindas que já pude presenciar...
sem cara feia, sem berro...
apenas lágrimas.